A cada semana que passa estamos mais próximos da data do The Best Jump! E por aqui seguem as entrevistas com cavaleiros de destaque que já fazem parte da história desse que é um dos concursos mais importantes da América do Sul.

O entrevistado desta semana é o argentino Justo Albarracín, cavaleiro que já pode ser considerado “de casa”, uma vez que conta com participações em mais de 30 edições do concurso – além de duas participações em Jogos Olímpicos, em Los Angeles (1984) e Atlanta (1996).

entrevista-justo-albarracin

  • Há quanto tempo você pratica hipismo?

Monto desde os 9 anos, tenho 65.

  • De quantos campeonatos já participou?

Perdi a conta de quantos campeonatos já participei, porém entre eles estão quatro Jogos Panamericanos, dois Campeonatos Mundiais e dois Jogos Olímpicos.

  • Quais foram as suas melhores colocações e em quais campeonatos?

Fui finalista nas Olimpíadas de Atlanta em 1996 e semifinalista do Mundial de Aachen em 1986, no qual classifiquei-me em 14º lugar.

  • De quantas (e quais) edições do Best Jump já participou?

Não lembro exatamente, porém devo ter participado de mais de 30 edições deste torneio que teve sua primeira edição em 1968.

  • Quais são os maiores desafios do concurso?

O maior desafio deste concurso é certamente a quantidade de bons conjuntos que participam, é bastante difícil ganhar.

  • Como você avalia o Best Jump?

O Best Jump é um dos melhores concursos da América do Sul e para mim é especialmente o melhor pois tenho muitos amigos na organização dele, desde sempre, o que faz com que, mesmo não participando de todas as edições, eu esteja sempre presente através dos anos.

  • Uma frase para definir o hipismo: 

É um esporte maravilhoso que permite competir com pessoas de todas as idades e gerações, juntando pais, filhos e netos numa mesma competição.